Republicamos do blog El Comunero o post sobre a mobilização da juventude combatente contra a visita de Trump na Colômbia.

No dia 11 de abril, jovens universitários e secundaristas, expressaram nas ruas da cidade seu rechaço a visita de Trump a Colômbia. Embora o reacionário Trump dediciu não vir ao país para organizar o ataque contra a Síria, os jovens persistiram em realizar o protesto contra o o imperialismo ianque, contra sua política de agressão e guerra contra os povos do terceiro mundo, e contra sua busca por aumentar a exploração contra as masas trabalhadoras. Os jovens revolucionários bloquearam as ruas durante aproximadamente uma hora e meia, distribuíram voltantes nos ônibus, táxis e carros particulares, assim como as pessoas que passavam caminhando. Realizaram uma queima da bandeira dos EUA e de Israel. E com megafone transmitiram uma mensagem de luta anti-imperialista e internacionalista. Abaixo algumas fotos da atividade:

 

Convidamos a todas e a todos para participarem da celebração dos 200 anos de Karl Marx convocada pelo Comitê de Solidariedade à Luta dos Povos, Jornal A Nova Democrcia e o Núcleo de Estudos do Marxismo, que será realizada em São Paulo.

 Por ocasião do 46° aniversário do ínicio da heróica Guerrilha do Araguaia, compartilhamos a matéria do Jornal A Nova Democracia edição n°88.

Em 12 de abril de 1972 ocorreu o primeiro enfrentamento armado da heroica Guerrilha do Araguaia. Maurício Grabois, dirigente do Partido Comunista do Brasil, membro de seu Comitê Central, da sua Comissão Militar e Comandante da Guerrilha, registrou assim o feito em seu Diário*:

Reproduzimos a seguir nota no portal do Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), sobre a proposta do CNE. Desde já afirmamos nosso acordo com a posição dos companheiros.

No último dia 04 de abril, o MEC apresentou a sua Base Nacional Comum Curricular - BNCC, que será o documento que vai servir de referência a todas as escolas do país. 60% da carga horária será Português e Matemática. 40% será dividido entre linguagens, matemática, ciências humanas e ciências da natureza. Outra opção é optar por ensino técnico profissionalizante nos 40%.