Reproduzimos vídeo enviado pelo Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) com a convocatória para as manifestações do 30M que irão acontecer em todo o Brasil. Confira aqui a agenda!


Baixe a versão em PDF

 

Publicamos a seguir o Boletim n. 1 de Maio de 2019 elaborado palo Comando Nacional da Unidade Vermelha - Liga da Juventude Revolucionária para orientar nossa tática nacionalmente quanto às tarefas de enfrentar o golpe contrarrevolucionário preventivo em marcha e resistir aos ataques à juventude e à educação.

Clique aqui para baixar a versão em PDF.

A seguir republicamos um artigo publicado no Jornal Estudantes do Povo de 2005.

O homem é produto da natureza, o seu mais avançado desenvolvimento. Longe de ser o “câncer do planeta” como querem alguns, ele é a realização da matéria enquanto ser pensante. E é justamente a capacidade de pensar que difere os homens de todos os outros seres. Como não atua somente com respostas condicionadas ao meio ele é capaz de realizar gigantescas transformações no mundo, mesmo com sua força e tamanho pequenos foi o que, sem qualquer comparação, mais transformou a realidade que está inserido. Esta capacidade de pensar nada tem de mágico e teve como base bem material nada mais que sua mão com seu polegar opositor. Foi este pequeno detalhe, que dá ao homem a capacidade de movimento de pinça com os dedos, que nos fez pensar. Aliás, mais que isto, foi esta característica presente em determinada espécie de macaco que possibilitou e impulsionou, através do trabalho, sua transformação em humano. Com esta mão o homem primitivo foi capaz de tornar seu trabalho muito mais eficiente e preciso. E nossos antepassados precisavam trabalhar muito para superar as debilidades naturais, no trabalho da luta por sua sobrevivência foi que o cérebro do homem se desenvolveu. A mão com polegar opositor e o trabalho geraram o que somos hoje, Homo sapiens.

No dia 13 de março dois jovens, um menor de apenas 17 anos e outro de 25 anos, entraram atirando na Escola Estadual Professor Raul Brasil no município de Suzano (São Paulo) e assassinaram 5 estudantes e duas funcionárias da escola, além do tio de um dos rapazes. Logo após, se suicidaram. Um dos jovens havia estudado nessa mesma escola.