"Professores de mais de 100 escolas da rede privada de ensino em cidades do estado de São Paulo paralisaram suas atividades no dia 29 de maio. A grande mobilização, que tem como principal reivindicação a manutenção dos direitos já previstos na convenção coletiva vigente, conquistou importantes vitórias no dia 06/06.

 

Entre as exigências dos trabalhadores em educação constam também a manutenção do recesso escolar remunerado de 30 dias no fim do ano, bolsa de estudos para dois filhos e garantia de semestralidade dos salários. Os professores também lutam contra o fim das férias coletivas e a possibilidade de redução de salários por acordo.

Ainda no dia 29, os professores realizaram um protesto na frente da sede do sindicato da categoria, em São Paulo, onde saíram em passeada até a avenida Paulista." ¹

 

Os educadores também promoveram aulas públicas em oito pontos da cidade, como nos largos da Batata e Santa Cecília.

 

Após uma semana da paralisação e protestos dos professores, o Sieeesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado) cedeu e aprovou, no dia 06/06, a convenção coletiva que garante a manutenção de direitos dos professores da rede particular de ensino de São Paulo, concede o reajuste de 3% e Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) de 15%.

Nós da Unidade Vermelha - Liga da Juventude Revolucionária saudamos com decisão essa vitoriosa greve, que é parte do levantamento cada vez mais combativo e decidido das massas contra as reformas do banco mundial/FMI aplicados pelo gerenciamento de Temer. Essa greve reforça que o caminho classista, combativo e independente na luta contra o sucateamento da educação no Brasil, diferente das greves intermináveis da APOESP dirigidas pelo oportunismo eleitoreiro e com uma direção que mas está preocupada com acordos com o gerenciamento estadual do que com as próprias reinvidicações da categoria, e aponta o caminho da greve geral no país.

Cabe a nós, jovens revolucionários e secundaristas, apoiar decididamente a mobilização dos professores e além diso também levantar nossas reivindicações contra a Reforma do Ensino Médio e pelo Passe Livre, principalmente ocupando as escolas, envolvendo assim toda a comunidade na luta pela educação.

Viva a vitoriosa greve dos pressores de São Paulo!

Preparar a greve geral!

 

- - - -

¹ - http://anovademocracia.com.br/noticias/8963-sp-greve-de-professores-contra-cortes-de-direitos-conquista-vitorias