Há uma semana os caminhoneiros entraram em greve em todo Brasil, com os caminhões parados bloqueando rodovias e estradas se colocaram contra os abusivos preços do combustível e as péssimas condições de trabalho.

 

Diante do aprofundamento cada vez maior da crise imperialista, que exige aplicação de políticas de arrocho salarial e corte de direitos trabalhistas fundamentais, o velho Estado burguês-latifundiário brasileiro, através do gerenciamento Temer vem cada vez mais aumentando a carga tributária jogando nas costas do povo os custos da crise do capitalismo burocrático, crise essa que é expressão direta do aprofundamento da crise política, econômica, ética, moral e militar do imperialismo em todo o mundo, principalmente do imperialismo ianque. Dentro desse contexto com o preço do combustível não poderia ser diferente: aumento da carga tributária somado à política de preços guiada diretamente pelos acionistas imperialistas ianques, não resta às massas outra alternativa: Se levantar de forma classista e combativa, preparando a greve geral!

Os grandes monopólios de imprensa tentam a todo custo deslegitimar a greve: Falam em greve de empresários, locaute, chantagem etc, dizendo abertamente que caso o governo do velho Estado ceda à pressão dos caminhoneiros, estaria abrindo grave precedentes para que outras categorias façam também greves radicalizadas. É o caminho da greve geral que os lacaios temem! O editorial do O Globo do dia 25-05 diz que "o movimento se tornou irresponsável após permanecer em greve mesmo com acordo”, querendo jogar massas contra massas. A resposta das massas vem com um grande apoio a greve, desde faixas, mensagens de apoio até doações de alimentações e itens necessários para que se mantenham em seus postos de greve.

O gerenciamento de Temer após um acordo de faixada com pelegos e oportunistas ditos representantes da categoria, fez uma reunião extraordinária para autorizar a intervenção das forças armadas para a “Garantia da Lei e da Ordem”, permitindo até mesmo que os militares dirijam caminhões e as empresas façam com que os trabalhadores voltem a trabalhar de forma forçada. Essa é mais uma expressão do golpe militar contrarrevolucionário em marcha, que tem como principal objetivo atacar de forma preventiva e cada vez mais violenta a justa rebelião das massas. Mais uma vez, o Exército, medula desse velho Estado podre, se colocou de modo a servir prontamente aos interesses do latifúndio, grande burguesia e imperialismo, esses são os mesmos que as viúvas do regime militar dizem ser a solução para crise econômica, política e militar que enfrenta o velho Estado! Repudiamos completamente tais medidas!

Nós, jovens revolucionários saudamos a justa e legítima greve dos caminhoneiros, não reconhecemos o falso-acordo realizado pelo gerenciamento de Temer, bem como rechaçamos os planos dos milicos lambe-botas dos ianques e aqueles que querem surfar na onda de insatisfação pedindo intervenção militar.

Convocamos todos os jovens revolucionários a se solidarizarem com a greve e se mobilizarem em apoio aos caminhoneiros e todos justos levantamentos das massas em luta pelo país! Além do apoio irrestrito devemos levantar alta nossas bandeiras contra as políticas privatistas de Temer, especialmente contra a Reforma do Ensino Médio e também a nossa luta pelo Passe Livre! Desde já enviamos nossa calorosa saudação e dizemos aos companheiros caminhoneiros: Vocês não estão sozinhos! Avante, a luta é o que muda, o resto só ilude!

 

Rebelar-se é justo! Osar lutar, ousar vencer!

Viva a justa e combativa greve dos caminhoneiros!

Preparar a Greve Geral!

Comando Nacional, Maio de 2018