Contundentes ações de agitação e propaganda em Escolas secundaristas nas cidades de Suzano, Osasco e Carapicuíba, na grande Sao Paulo.

As ações foram feitas em celebração ao Dia do Estudante Combatente, data instituída em memória do estudante secundarista Edson Luís de Lima Souto (1950-1968), jovem paraense de família humilde covardemente assassinado pelo regime militar fascista no dia 28 de março de 1968.

Nas agitações, foram distribuídos panfletos da UV-LJR com as consignas: “Edson Luís, presente na luta! Secundarista, estudante do povo”; e os ativistas destacaram que 50 anos após a morte do estudante, o Rio de Janeiro esta passando por uma intervenção militar, que e já é o início de um golpe de Estado militar contrarrevolucionário em todo o pais. Medida que revela o grau avançado de decomposição do velho Estado burguês-latifundiário, serviçal do imperialismo, principalmente ianque.

Em uma das escolas, a direção tentou impedir os estudantes de se pronunciarem dentro da escola sobre Edson Luís e o dia 28 de março, por ser "discussão política", o que nada mais é que uma expressão do pensamento reacionário e antidemocrático, bases de projetos como ‘Escola Sem Partido’, que tende a se aprofundar com o golpe de Estado preventivo ao levante de massas que se avizinha. Mas apesar da tentativa de censura, os estudantes se organizaram e distribuíram por baixo das carteiras os panfletos da UV-LJR, de forma clandestina e combativa.

Nesse dia 28 de março, os estudantes mostraram mais uma vez que a luta de Edson Luís não foi em vão e segue sendo travada pelos estudantes. A palavra de ordem continua a ser "Resistir, Combater!".