Redação de AND, com informações de apoiadores locais

Os aumentos criminosos da tarifa de ônibus acima da inflação, em 10,5% em Barueri e Osasco, e em 18,4% em Guarulhos (região metropolitana da capital São Paulo) prometem incendiar as ruas da região metropolitana de São Paulo com combativos protestos. O valor da passagem em Barueri e Osasco pulou de R$ 3,80 para R$ 4,20, enquanto em Guarulhos foi para R$ 4,50. Tais aumentos são crimes econômicos contra o orçamento das famílias trabalhadoras, tudo para engordar ainda mais a máfia do transporte coletivo. 

Estes crimes, no entanto, como prenunciado, prometem sacudir as massas que já sentem a revolta por ser assaltada descaradamente, sob o falso pretexto de custear um transporte coletivo cada vez mais precário.

Como parte dessa onda, uma série de protestos tomaram as ruas de Barueri e Osasco nas tardes de 4, 9 e 18 de janeiro. Os protestos contaram com a participação de estudantes e trabalhadores.

O comitê de apoio do jornal A Nova Democracia realizou uma brigada de venda e distribuição durante as concentrações, conversando com a população que expôs sua insatisfação com o transporte coletivo da região, o assalto no preço da tarifa e as medidas antipovo que vêm sendo aplicadas de modo cruel pelo gerenciamento Temer.

 Na manifestação do dia 18 de janeiro, em Barueri, entoando gritos combativos, os manifestantes convocaram motoristas, cobradores e trabalhadores a reivindicarem melhorias para os ônibus e demais obrigações do monopólio que “administra” o transporte. O ato composto majoritariamente pela juventude combativa, saiu marchando em direção a uma das principais avenidas do centro da cidade. Faixas e bandeiras da Unidade Vermelha – Liga da Juventude Revolucionária e do Movimento Feminino Popular – MFP davam o tom de combatividade que tomava conta dos manifestantes.

Já numa certa altura desta manifestação, a PM fascista, com sua costumeira violência contra o povo, prendeu com um “mata-leão” um dos jovens que participava da manifestação. Os demais manifestantes tentaram, justa e corajosamente, impedir que o rapaz fosse levado e foram golpeados covardemente com cacetetes e spray de pimenta. Ainda assim, o ato se encaminhou até o terminal de ônibus onde fizeram agitações para a população, propagandeando a necessidade de uma Grande Revolução em nosso país para pôr fim de uma vez por todas aos criminosos pisoteios aos direitos do povo pelos “governos” de turno.