Reproduzimos nota emitida pelo Movimento Feminino Popular (MFP) e divulgada em seu blog no dia 12 de julho de 2019. A nota original pode ser lida em http://brasilmfp.blogspot.com/



Caso Neymar: Basta um episódio envolvendo um ricaço para fazer cair a máscara feminista de hipócritas



“As mulheres sustentam sobre seus ombros a metade do céu, e devem conquistá-la” (Presidente Mao Tsetung).


O episódio que recentemente veio a público, rodeado do sensacionalismo costumeiro, envolvendo a acusação da modelo brasileira Najila Trindade, de ter sido estuprada pelo milionário e famoso jogador de futebol, também brasileiro, Neymar, serviu uma vez mais, para revelar o arraigamento da mentalidade atrasada, patriarcal e machista na sociedade brasileira. Mais que isto, pôs a nu de como o que pesa é a natureza de classe no tratamento dos fatos, quando estão envolvidos ricos e poderosos. De um lado, quando os “suspeitos” são pretos e pobres são condenados até que se prove o contrário, de outro, quando os acusados são ricos e poderosos são tratados como meninos inocentes, vítimas das suas vítimas. O episódio também faz caco das poses e arroubos com que a Globo, que invade os lares brasileiros com suas programações com cenas apelativas de exposição da intimidade pessoal, com vistas à maior audiência, travestidas de defesa da “liberdade” sexual e de comportamento, particularmente se utilizando da exposição do corpo e sexualidade da mulher.

A seguir repercutimos a grave denúncia do Movimento Fagulha à aliança sinistra entre o peleguismo sindical e o movimento estudantil eleitoreiro (PCdoB, UJS/Levante e UNE) para delatar a juventude combatente durante as manifestações pela Greve Geral (15 e 30 de Maio e 14 de Junho).

Leia aqui a nota completa

Nota: Derrotar as reformas anti-povo, o peleguismo e a conciliação de classes com a Greve Geral de resistência nacional

A juventude combatente, entre secundaristas, universitários e trabalhadores da cidade e do campo foi às ruas de forma contundente no 14 de Junho, pela Greve Geral de Resistência Nacional e levantou alto suas bandeiras de luta. Abaixo seguem fotos e vídeos registrados por veículos diversos.

Viva a juventude combatente!

Greve Geral de Resistência Nacional!

Nem Bolsonaro, Nem Mourão, Nem Congresso de Corruptos! Fora Forças Armadas Reacionárias!

Yankees, Go Home!

 

Sobre a contradição*

Agosto de 1937

A lei da contradição inerente aos fenômenos, ou lei da unidade dos contrários, é a lei fundamental da dialética materialista. Lenin dizia: “No sentido próprio, a dialética é o estudo da contradição na própria essência dos fenômenos” [1].

Sobre essa lei, Lenin dizia com freqüência que era a essência da dialética, afirmando também que era o núcleo da dialética [2]. É assim que, ao estudarmos tal lei, somos obrigados a abordar um amplo círculo de problemas, um grande número de questões filosóficas. Se formos capazes de esclarecer todas essas questões, nós compreenderemos nos seus verdadeiros fundamentos a dialética materialista. Essas questões são: as duas concepções do mundo, a universalidade da contradição, a particularidade da contradição, a contradição principal e o aspecto principal da contradição, a identidade e a luta dos aspectos da contradição, o lugar do antagonismo na contradição.

A crítica a que, nos círculos filosóficos soviéticos, foi submetido nestes últimos anos o idealismo da escola de Deborine, suscitou um grande interesse entre nós. O idealismo de Deborine exerceu uma influência das mais perniciosas no seio do Partido Comunista da China, não se podendo dizer que as concepções dogmáticas existentes no nosso Partido não tenham coisa alguma a ver com tal escola. É por isso que, atualmente, o objetivo principal do nosso estudo da filosofia é extirpar as concepções dogmáticas.